04 março 2015

Desemprego no Feminino em Portugal - 2015

Uma em cada quatro mulheres está desempregada 

ou subocupada

De acordo com um estudo que a CGTP-Intersindical fez para assinalar o início da Semana para a Igualdade, o desemprego e a subocupação atingem cerca de 688 mil mulheres.
"Este número corresponde a uma taxa real de desemprego e subocupação de 25,3%", diz a análise a que a agência Lusa teve acesso.
Os últimos dados do INE (Inquérito ao Emprego - 4º trimestre de 2014), referem que o número de trabalhadoras desempregadas era de 364,5 milhares em 2014, correspondendo a uma taxa de desemprego de 14,3% (13,5% entre os homens).
O desemprego aumentou 26,6 milhares face a 2011, segundo os dados oficiais.  Para chegar ao total de 688 mil mulheres desempregadas e subocupadas, a Intersindical teve em conta as mulheres que estão desencorajadas, as sub-empregadas e as inactivas.
"São mais 89 milhares que em 2011 devido ao aumento do desencorajamento em 54,6 milhares e do subemprego em 12,6 milhares", refere o mesmo documento. A mesma taxa foi de 20,8% em 2014 no caso dos homens, o que significa que o desencorajamento e a subocupação é mais grave entre as mulheres do que entre os homens.
Segundo a CGTP, há também "muitos milhares de desempregadas abrangidas por contratos emprego-inserção (CEI) e estágios promovidos pelo IEFP, que o INE conta como empregadas". "Desde que este Governo tomou posse, em 2011, o emprego caiu 73 milhares entre as mulheres, mantendo-se a precariedade num nível muito elevado (21%, embora esta percentagem fique muito aquém da realidade por excluir a maioria do falso trabalho independente)", afirma a central sindical.
Para a Inter, "a situação é ainda mais gritante" entra as mulheres mais jovens, dado que 39% das jovens até aos 35 anos têm contratos não permanentes, percentagem que sobe para os 63% no caso das jovens trabalhadoras com menos de 25 anos.
O estudo salienta ainda que as mulheres trabalhadoras ganham, em média, menos 17,5% que os seus colegas de trabalho, apesar de terem habilitações mais elevadas. As mulheres são também a maioria dos trabalhadores a receber o salário mínimo nacional, pois 17,5% das mulheres trabalhadoras ganham a remuneração mínima face a 9,4% dos homens.
Por ganharem menos, as mulheres acabam por ser depois as que mais recebem o complemento solidário para idosos, rendimento social de inserção, pensões de velhice e de sobrevivência. Os jovens e as mulheres são os mais afectados pela falta de cobertura das prestações de desemprego, porque "são também as maiores vítimas da precariedade e do desemprego, que não lhes permite cumprir os períodos de garantia para acesso às prestações".
"É sintomático que 70% das mulheres desempregadas e 85% dos jovens com menos de 35 anos não tenha acesso a subsídio de desemprego ou subsídio social de desemprego", salienta central sindical.
A Semana da Igualdade decorre até domingo (Dia da Mulher) com iniciativas nos locais de trabalho e na rua, por todo o país, que contarão com a participação dos sindicatos da CGTP e das mulheres trabalhadoras dos vários sectores de actividade.
Segundo Fátima Messias, dirigente da Intersindical que coordena a respectiva Comissão para a Igualdade, a Semana da Igualdade tem como objectivos a defesa de "emprego seguro e com direitos, aumento geral dos salários, salário igual para trabalho igual ou de igual valor e protecção social para todas as mulheres e homens desempregados".
As 35 horas de trabalho semanal, para todos/as, sem redução salarial, a reposição da universalidade do abono de família e a contratação coletiva como fonte de direitos e progresso social, são, de acordo com a sindicalista, outras das reivindicações em causa.

25 fevereiro 2015

Conferência Mercer sobre Diversidade de Género, 4-Março

Conferencia Mercer sobre Diversidade de Genero (When Women Thrive, Businesses Win) | 4 de Março
CONFERÊNCIA MERCER SOBRE IGUALDADE DE GÉNERO
 - When Women Thrive, Businesses Win
Embora sejam inquestionáveis as vantagens de integrar o talento feminino na gestão das organizações, ainda existe um caminho a percorrer.
Nesta Conferência pretendemos partilhar os resultados do estudo global da Mercer “When Women Thrive, Businesses Thrive”, realizado em colaboração com a EDGE Certified Foundation. É, ainda nosso objectivo,  ter um espaço de debate sobre algumas práticas que as organizações podem adoptar para desenvolver e monitorizar estratégias efectivas que promovam a igualdade de género.
AGENDA
09:15 Recepção dos convidados
09:30 Abertura  Diogo Alarcão, Partner Mercer
09:40 Women@Mercer em Portugal  Nélia Câmara, Principal Mercer
10:10 Resultados do estudo global da Mercer  When Women Thrive, Businesses Win
Nicole Weiner, Principal Mercer, coordenadora da iniciativa Women@Mercer na Europa
11:30 Mesa redonda: O papel da Mulher na gestão: uma visão de futuro
Joana Gíria, Presidente da CITE (Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego)
António Ramalho, Presidente do CA conjunto da Estradas de Portugal, SA e da REFER, EPE
Kim Sawyer, Presidente do Locator Services Group & Embaixatriz dos Estados Unidos da América (Portugal)
Moderador: Diogo Alarcão, Partner Mercer
12:20 Encerramento





Cordiais Cumprimentos,



Nélia Câmara

Responsável Women@Mercer Portugal

21 fevereiro 2015

Assomada soma e segue

A próxima geração de atletas de andebol feminino da Associação de Solidariedade Social da Assomada já está na calha.

E as veteranas estão a partilhar a sua experiência com as mais novas como treinadoras e dirigentes.

10 fevereiro 2015

Raríssimas partilha experiência de Empreendedorismo Social no Feminino


Rarissimas





Paula Brito e Costa, presidente da Associação Nacional de Deficiências Mentais e Raras Raríssimas,  partilhou com os finalistas do Prémio Mãos Dadas a experiência da constituição da Associação e da criação da Casa dos Marcos na Moita  em 2014 para responder às necessidades das famílias. 

O próximo projecto vai ser a criação da 'Quinta dos Marcos' na Maia, um espaço multi funcional com valências clínicas e sociais. 

A Associação Raríssimas, que começou com 5 mães de "meninos raros",  é um caso de estudo de empreendedorismo social no feminino

O Prémio Mãos Dadas Comunidade e Solidariedade no Feminino foi criado pela Soroptimist International de Portugal e a APGICO  a  Associação Portuguesa de Criatividade e Inovação - APGICO, para promover e reconhecer a inovação social e celebrar Comunidade e Solidariedade.  

07 fevereiro 2015

Recessões cortam natalidade de forma permanente

Sabíamos que a natalidade desce quando o desemprego sobe, mas as sequelas de longo prazo são mais graves do que se pensava.   
Num estudo americano de 2014, a economista Janet Currie da Princeton University concluiu que as recessões deprimem a natalidade não só no curto prazo mas também no longo prazo.    

O estudo mostra que as mulheres que estavam nos seus 20 anos durante a Grande Recessão, irão provavelmente ter menos filhos. Nas recessões passadas, houve um aumento no número de mulheres que chegaram aos 40 anos sem filhos.

O estudo, que analisou 140 milhões de registos de nascimento nos EUA e que foi  publicado na revista Proceedings, da Academia Nacional de Ciências, é o primeiro a mostrar que as recessões têm efeitos a longo prazo sobre a fertilidade, e esses efeitos aumentam exponencialmente ao longo do tempo.

Mas quais são os mecanismos económicos que levam a estes resultados? As investigadoras citam estudos empíricos recentes que mostram que os jovens adultos - homens - especialmente os que entram no mercado de trabalho durante uma recessão económica, são susceptíveis de ter ganhos persistentemente inferiores durante toda a sua carreira. Esse fenómeno pode tornar estes homens menos atraentes como pais, o que explica o aumento do número de mulheres que prescindem de ser mães

Este trabalho destaca os custos pessoais das recessões, mesmo nesta esfera mais íntima, e portanto aponta para a importância de evitar as recessões,  segundoo a professora Janet Currie, que é também a Directora da faculdade de Economia da Universidade de Princeton.



Fonte:  http://wws.princeton.edu/news-and-events/news/item/recessions-result-lower-birth-rates-long-run

03 fevereiro 2015

http://soroptimistapt.blogspot.pt/2015/02/premio-maos-dadas-comunidade



Prémio Mãos Dadas 
Comunidade e  Solidariedade 
no Feminino

A SIUP - Soroptimist International União de Portugal, e a APGICO - Associação Portuguesa de Criatividade e Inovação  em colaboração com  a PWN Professional Womens Network entregaram  o 
Prémio Mãos Dadas – Comunidade e Solidariedade 2014, destinado a reconhecer e divulgar boas praticas de empreendedorismo social e de liderança na comunidade.  

O evento, que encerrou o projeto Incubadora de Projetos Empresariais para a Inclusãorealizou-se aa terça-feira, 27-janeiro-2015 no Auditório da ESEL, Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, e  incluiu não só a apresentação dos finalistas  como intervenções de oradores reconhecidos na área de impacto social, sobre o tema: 

“Inovação Social:      Passado ou Futuro?”

Os nossos agradecimentos aos oradores  NunoFrazão, do IES Instituto de Empreendedorismo Social, Paula Brito e Costa, da Associação Raríssimas e da Casa dos Marcos, António Miguel, do Laboratório de Investimento Social e ao moderador Gonçalo Rodrigues da Remix. 













As finalistas, que  tiveram oportunidade de divulgar o seu valioso trabalho, foram reconhecidas com os seguintes prémios:  

Prémio Inovação Social Academia de Bombeiros- Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Brasfemes, Coimbra 

Prémio Sustentabilidade – Mãos Cheias de Saberes e Sabores- Fundação ADFP, Parque Biológico da Serra da Lousã





Prémio Envolvimento da Comunidade Assomada Relançar- Associação de Solidariedade Social Assomada, Carnaxide

Menção Honrosa – Acabar o Desperdício, Alimentar Pessoas- Refood da Estrela, Lisboa

Menção Honrosa – Voluntariado de Proximidade- LACSAF- Liga de Amigos do Centro de Saúde de Alfândega da Fé, Trás os Montes 

Menção Honrosa – Inspiring Future- Inspirar o Futuro, Lisboa

Menção Honrosa – Igualar- Maio, Associação pela Igualdade
VER mais em
http://www.ipei-incubadora.pt/premio-maos-dadas-sessao-adiada-para-27-de-janeiro-de-2015/
Abertura de  candidaturas em  http://soroptimistapt.blogspot.pt/2014/11/candidate-se-ao-premio-maos-dadas.html

Resultado de imagem para pwn lisbon logoIES-Social Business School
ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE LISBOARarissimas