28 fevereiro 2012

Trabalho sobre esclerose múltipla premiado pela L'0real


CIÊNCIA NO FEMININO

Prémio distingue projetos sobre cancro, esclerose múltipla e colapso pulmonar

Ana Barbas, Inês Sousa e Adelaide Fernandes foram as três investigadoras distinguidas pela L'Oréal Portugal, no âmbito do prémio Mulheres na Ciência 2011Ana Barbas, Inês Sousa e Adelaide Fernandes foram as três investigadoras distinguidas pela L'Oréal Portugal, no âmbito do prémio Mulheres na Ciência 2011
A farmacêutica e professora auxiliar da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa, Adelaide Fernandes, foi uma das três cientistas distinguidas no dia 25 de Janeiro com o Prémio L´Oreal Mulheres na Ciência pelo seu trabalho sobre a esclerose múltipla. Nesta sua 8.ª edição foram apresentadas 80 candidaturas, tendo os três projectos escolhidos recebido um prémio no valor de 20 mil euros cada. A iniciativa apoia a investigação científica na Saúde e Ambiente em Portugal realizada por mulheres com idade até 35 anos.
"Com este projecto pretendemos identificar um alvo terapêutico na esclerose múltipla, pretendemos avaliar se uma proteína que temos vindo a estudar, a S100B, está de facto envolvida na doença e é responsável por um atraso da recuperação da incapacidade que se instala nos doentes quando estão sujeitos a surtos", explicou Adelaide Fernandes, em declarações à Agência Lusa.

Na primeira fase, está a ser avaliada a sua função no desenvolvimento da doença e numa segunda fase os cientistas vão "tentar modelar a sua função no sentido de diminuir a sua toxicidade e promover uma melhor recuperação dos doentes, diminuindo a incapacidade motora que acabam por apresentar" alguns anos depois do diagnóstico da doença.

A esclerose múltipla afecta mais de um milhão de pessoas em todo o mundo e cerca de cinco mil em Portugal.



Enviar um comentário