31 janeiro 2009

Escola de cães guia lança campanha “Poppy, um amigo de confiança”

A campanha de sensibilização e angariação de fundos “Os meus olhos têm quatro patas” tem como mascote "Poppy, um amigo de confiança" e pretende aumentar o numero de cães guia treinados em Portugal e entregues gratuitamente ao cego.

A necessidade de cães guia: A escola de cães guia para cegos de Mortágua, que é única em Portugal, tem uma lista de espera de mais de 50 pessoas. A responsável Ana Filipa Paiva considera que o ideal seria «entregar 20 a 25 cães guia por ano, porque a espera é um desespero para o cego”. Isto inclui a reposição de cães ao fim de oito anos, pois o “cego que utiliza um cão guia já muito dificilmente consegue voltar à bengala”.

O trabalho de treinar cães guia: A escola de Mortágua entregou até hoje 72 cães guia a 68 cegos, em todo o país, cada um dos quais demorou aproximadamente dois anos desde o seu nascimento até chegar ao novo dono. O cão guia para cegos é normalmente de raça Retriever do Labrador. O cão é educado para conduzir o dono em segurança nas suas deslocações, usando um arnês para comunicarem um com o outro. A formação de um cão guia fica entre os 17 mil e 20 mil euros, mas o cão guia é entregue gratuitamente ao cego.

O animal é formado para conseguir evitar todos os obstáculos com que o dono possa colidir, quer no solo, como carros mal estacionados, postes, pessoas e até excrementos de animais, quer à altura da cabeça, como ramos de árvores. Ajuda também o cego a desviar-se dos buracos no pavimento, evita que ele pise poças de água e até lhe procura um lugar vago no autocarro ou no café. O cão encaminha o dono até ao balcão de atendimento nos estabelecimentos comerciais e encontra a máquina Multibanco ou telefone público mais próximos, entre muitas outras tarefas.

A escola de cães guia: A actividade começou em Portugal em 1995 com a candidatura a um projecto europeu no âmbito do Programa Horizon. Através desse projecto conseguiu-se a formação de 2 educadores em parceria com a Federação Francesa de Escolas de Cães-Guia (FFAC), bem como a organização da restante equipa. Foi também adquirido o terreno de aproximadamente 4000 m2 e construídas as instalações (a 2 Km do centro da vila de Mortágua).

Em 2000, foi criada a Associação Beira Aguieira de Apoio ao Deficiente Visual (ABAADV), uma associação sem fins lucrativos, ou IPSS- instituição particular de solidariedade social que gere a escola de cães guia .

Segundo os responsáveis, para crescer, “não falta nem espaço físico, nem vontade". A escola tem actualmente três educadores e um pré-educador, que receberam formação em França. «Se conseguíssemos duplicar a nossa equipa poderíamos trabalhar em velocidade cruzeiro, e formar cães para os candidatos que surgissem no momento e para as reposições»

Os apoios: A Associação conta com o apoio do Estado através de um protocolo estabelecido com a Segurança Social, da Câmara Municipal de Mortágua, de outros Municípios e de aproximadamente 600 sócios individuais e colectivos. Nesta campanha, a Poppy será promovida e estará à venda por 5€ em centros comerciais, supermercados, etc, junto com uma ficha para novos associados.

As pessoas interessadas em apoiar este trabalho importante podem enviar donativos ou associarem-se através do portal: http://www.caesguia.org/ , ou através dos seguintes contactos:
ABAADV - Associação Beira Aguieira de Apoio ao Deficiente Visual
Escola de Cães Guia
Chão de Vento, 15
3450-333 Mortágua, Portugal
http://www.caesguia.org/ , e http://www.poppy.com.pt/
NIB: CGD 0035 0516 0001 1948 13069
geral@caesguia.org
Tel: 351 231 920 978, Fax: 351 231 920 979
VER: http://sol.sapo.pt/Solidariedade/Noticias/Interior.aspx?content_id=12435.
Enviado por: Francisco Moura, Beijós, Carregal do Sal
Ver também Associação de Retinopatia, http://www.retinaportugal.org.pt/
VER também segurança e passeios aos peões
Enviar um comentário