28 abril 2014

As mulheres 40 anos após o 25 de Abril

Os 40 anos do 25 de Abril de 1974 tem motivado muita reflexão sobre o "antes e depois" na sociedade portuguesa, agora que muitos dos então jovens estão agora na casa dos 60s, 70s e 80s.  Eis aqui os links a alguns dos artigos que focaram os avanços   40 anos após o 25 de Abril, e que falam do que mudou para as mulheres portuguesas e o que falta mudar 
A igualdade de oportunidades consagrada na lei às mulheres  com o 25 de Abril concedeu-lhes o acesso a profissões que lhes estavam vedadas, mas ganham menos do que os homens e estão em minoria nas chefias. 
Mulheres ganham em média menos 18% do que os homens em Portugal e recebem pensões  40% mais baixas .   Portugal é um dos países em que as disparidades salariais se agravaram . Em Espanha, as mulheres  ganham 23% menos  que os homens  e   na EU a disparidade  era 16% menos em 2012. 

As mulheres portuguesas 40 anos após o 25-Abril 

https://mail.google.com/mail/#inbox/14598289fc3cc404  e 
http://mulher.sapo.pt/atualidade/especiais/as-mulheres-40-anos-apos-o-25-de-abril  
Mulheres ganham em média menos 18% do que os homens 

Mulheres ganham menos e estão em minoria nos cargos de chefia

 http://mulher.sapo.pt/atualidade/em-foco/artigo/mulheres-ganham-menos-e-estao-em-minoria-nos-cargos-de-chefia?dossier=220?dossier=220

De acordo com o relatório mais recente, de 2012, do Observatório das Famílias e das Políticas de Família, as mulheres empregadas gastam mais tempo do que os homens nas lides da casa e nos cuidados com os filhos  as mulheres têm de ser "supermulheres", mães, mulheres, profissionais e donas de casa, Depois da Revolução, as mulheres tiveram de esperar ainda mais quatro anos pelo fim da figura do chefe de família, mas, hoje, fruto do amparo institucional e legislativo, denunciam mais a violência doméstica, de que são as principais vítimas.
Menos criminalidade mas  mais violência doméstica 
Portugal está em crise demográfica, com baixas taxas de natalidade e emigração crescente, tornando-se o sexto país mais envelhecido do mundo com a população a encolher.  
Mas continuam a cortar-se os apoios à natalidade e às famílias com filhos pequenos. Uma creche pode custar 300 euros por mês, comparado com o salário mínimo é de 485 euros/mês. 

Enviar um comentário