15 março 2012

Soroptimistas prestam homenagem com novo prémio Teresa Rosmaninho 2012

Na Quinta-feira, 8 de Março de  2012, o Clube Soroptimist International Porto Invicta marcou o Dia Internacional da Mulher com uma homenagem Teresa Rosmaninho, 1955-2011, a sua presidente fundadora.
A Soroptimist International União de Portugal associou-se a este evento, atribuindo pela primeira vez o "Prémio Soroptimista  Teresa Rosmaninho Jovem Líder destinado a reconhecer “mulheres que se tenham distinguido na vida cívica e comunitária”.

Na presença da família da Teresa, incluindo a filha  Catarina  Corte Real,  Maria Amélia Monteiro, presidente actual, as soroptimistas do Clube Porto Invicta junto com  amigos, colegas e altas individualidades que conheceram a Teresa prestaram homenagem uma grande mulher que deixou muitas saudades mas também uma grande obra.

Discurso de Amélia Monteiro, presidente do Clube Porto Invicta:

"Minhas Senhoras, meus senhores, amigas e amigos
Desde já, e em nome do Soroptimist International Clube Porto Invicta, quero agradecer a todos a vossa presença nesta singela, mas muito sentida e comovida Homenagem à Teresa Rosmaninho.
Gostaria de iniciar estas breves palavras com uma citação de Fernando Pessoa:
O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que elas acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis”.
Encontram-se nesta sala familiares, amigos, colegas e pessoas que contactaram com a Teresa Rosmaninho em contextos e tempos distintos.
 No entanto, penso colher a unanimidade dos presentes se afirmar que a Teresa era uma pessoa incomparável, logo, singular.
Foi uma Mulher que marcou o seu tempo e as pessoas que tiveram o privilégio de a conhecer: uma mulher empenhada na defesa dos direitos das mulheres, na luta contra todo o tipo de injustiças e de discriminação em razão do género, tendo, nesta área, tido um papel fundamental na luta contra a violência doméstica.
Quando conheci a Teresa, fazíamos parte do Curso de Auditores da Defesa Nacional em 2000, e desde logo, se começou a cimentar uma amizade e admiração recíprocas.
Mulher que lutava pelos ideais, nem que para isso tivesse que renunciar ao conforto pessoal e ao comodismo a que podia abandonar-se, cedo me desafiou para me juntar ao projeto soroptimista.
E assim me foi apresentado o Soroptimist Internacional Clube Porto Invicta de que a Teresa tinha sido uma das fundadoras e, porque não dizê-lo com toda a justiça, a sua força motriz.  
Em termos muito breves, pode dizer-se que é uma organização não-governamental que agrega mulheres profissionais das mais variadas origens, sendo a maior e mais antiga organização mundial feminina de clubes de intervenção social, que inclui as questões dos direitos humanos e do estatuto da mulher nas suas áreas de intervenção.
Conta com mais de 3.000 clubes e 90.000 mulheres filiadas em todo o mundo, sem qualquer filiação política nem religiosa.
Em boa hora o fiz, logo em 2001. Tive o privilégio de participar numa das suas obras que perdurará para além da passagem física da Teresa que, em tão pouco tempo tanto fez pelos outros.
Estou a referir-me ao Porto d’Abrigo: uma casa que acolhe mulheres e crianças que foram vítimas de violência doméstica. Aqui são acolhidas por pessoas tecnicamente qualificadas e humanamente sensibilizadas para promoverem a reconstrução de vidas destruídas e a reconquista da autoestima e da vontade de viver de novo sem medo do contacto com um dos lados mais sombrios do ser humano: o exercício da violência sobre os mais fracos fisicamente.
Este projeto resultou da reconstrução de uma casa cedida pela Câmara Municipal do Porto e projetada gratuitamente pelo Senhor Arquiteto Jorge Gonçalves. O Ministério da Justiça financiou.
Contou igualmente com a solidariedade de muitas pessoas e empresários e existe graças a um protocolo com o Ministério da Solidariedade e da Segurança Social.  Atualmente, graças a um protocolo com a Câmara Municipal da Trofa, existem mais dois apartamentos destinados a acolher mulheres e crianças vítimas de violência doméstica.
Muito haveria a dizer sobre a obra e a mulher singular que foi a Teresa Rosmaninho.

No entanto, as imagens que se seguem, cuja realização se deve ao homem que a Teresa muito amava, bem como os testemunhos das pessoas que com ela contactaram nos mais variados contextos e projetos que acederam gentilmente marcar hoje presença neste espaço, disso darão nota.

Não posso, igualmente, deixar de assinalar a marca indelével que a Teresa deixou entre nós em geral e nos valores do soroptimismo em particular: será hoje atribuído, pela primeira vez o Prémio SoroptimsitaTeresa Rosmaninho Jovem Líder, pela SOROPTIMIST INTERNATIONAL UNIÃO DE PORTUGAL: a união dos clubes soroptimistas portugueses, representada pela sua Presidente e madrinha do  Clube Porto Invicta, Luisa Ramires.


Apreciadora como era da beleza e das suas várias manifestações, esta homenagem não ficaria completa sem a presença de um grande amigo da Teresa: o Maestro António Vitorino d’Almeida.
Demos, então, início à merecida e singela homenagem à grande mulher que para sempre ficará conhecida como Teresa Rosmaninho.
Passo a palavra à Catarina,  filha da Teresa que se juntou a nós para apresentar os intervenientes nesta homenagem."
... .... ... 
A Soroptimist International União de Portugal, representada pela sua presidente Luisa Ramires, que foi madrinha do Clube do Porto, juntou-se à homenagem entregando  o novo "Prémio Soroptimista  Teresa Rosmaninho Jovem Líder" à jornalista Ana Cristina Pereira pelo seu trabalho cívico e comunitário.  
Ver o blog de Ana Cristina Pereira em http://meninosdeninguem.wordpress.com/2012/03/12/teresa-rosmaninho/ 

O tema "Maria da Fonte," que refere uma outra grande mulher de armas da nossa história, foi lindamente interpretado pelo Maestro António Vitorino d'Almeida, como podemos apreciar no video em anexo. 
Enviar um comentário